Logo

Filantropia

Origens Uma decisão histórica O primeiro hospital Um impacto sem paralelo
UMA DAS PRIMEIRAS ATIVIDADES FILANTRÓPICAS DA SHRINE FOI A DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS E OUTROS AUXÍLIOS ÀS FAMÍLIAS NECESSITADAS APÓS UM DESASTRE NATURAL OU EPIDEMIA

Desde o princípio, os Shriners eram conhecidos em todo o país por seus empreendimentos filantrópicos.

Durante uma epidemia de febre amarela em Jacksonville, Flórida, os membros do recém-fundado Shrine Marrocos e Masonic Knights Templar trabalharam muito para ajudar os doentes. Em 1889 a Shriners veio em auxílio às vítimas das enchentes em Johnstown, Pensilvânia. De fato, por volta de 1898 haviam 50.000 Shriners, e 71 dos 79 templos estavam engajados em algum tipo de trabalho filantrópico.

No início de 1900 a fraternidade crescia rapidamente. E, com o crescimento da fraternidade, o apoio à criação de uma instituição de caridade oficial também cresceu. A maioria dos templos tinha filantropias locais, e às vezes a organização Shriners oferecia ajuda. Após o terremoto de 1906 em São Francisco, a Shriners enviou 25.000 dólares para ajudar a cidade destruída. A Shriners contribuiu com 10 mil dólares para auxílio das vítimas da guerra europeia. Mas nenhum desses esforços, nem os projetos de templos individuais, satisfez à associação.

A ideia de estabelecer hospitais para crianças foi trazida para a associação em 1919 por Freeland Kendrick (P.I.P., Lu Lu Shriners, Filadélfia), após sua visita a um Rito Escocês em um hospital para crianças deficientes em Atlanta. Com esta visita, Kendrick ficou convencido da necessidade premente de cuidar de crianças com desordens ortopédicas.

Durante seu mandato como Potentado Imperial entre 1919 e 1920, Kendrick viajou mais de 240 mil quilômetros, visitando a maioria dos 146 templos Shrine e fazendo campanha para uma filantropia oficial a ser estabelecida.